Israelense teme prisão e cancela viagem para Espanha

Um ex-ministro de Segurança Interna de Israel, Avi Dichter, que atualmente é um parlamentar do Partido Kadima (centro-direita) no Knesset, cancelou uma viagem à Espanha para evitar uma possível prisão por crimes de guerra. Dichter deveria liderar uma delegação israelense que participaria, a partir da próxima quinta-feira, de uma conferência de paz na Espanha. Só que na Espanha Dichter enfrentou acusações de crimes de guerra, por ter ordenado, em 2002, um ataque aéreo contra a Faixa de Gaza, no qual foram mortos um comandante do Hamas e 14 civis.

AE-AP, Agência Estado

26 de outubro de 2010 | 16h38

O tribunal espanhol derrubou a acusação, mas o porta-voz de Dichter, Nisan Zeevi, disse hoje que a Espanha não garantiu que o israelense não seria preso. Vários advogados pró-palestinos entraram com ações por crimes de guerra e crimes contra a humanidade contra funcionários israelenses em tribunais de países europeus. As ações não prosseguiram, mas fizeram com que vários funcionários cancelassem viagens com medo de serem presos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.