Israelenses e palestinos conquistam montanha na Antártida

Oito montanhistas, palestinos e israelenses, escalaram um pico até então não-conquistado da Antártida, para provar ?nossos povos podem e merecem viver juntos, em paz e amizade?, disse o líder da expedição, Heskel Nathanial, via telefone por satélite a partir do topo da montanha de 997 metros, perto do planalto de Bruce, no continente antártico.?Ao atingir este pico, provamos que palestinos e israelenses podem cooperar em respeito e confiança mútuos?, disse Nathanial, lendo uma declaração conjunta dos quatro árabes e quatro judeus da expedição ?Quebrando o Gelo?.A expedição, que inclui duas mulheres, partiu em um iate alugado de Puerto Williams, uma base naval chilena, em 1º de janeiro. Eles depois caminharam por uma semana no continente gelado até a base da montanha. A viagem de volta deve começar nesta sexta-feira. ?Estamos bem, a despeito de alguns pequenos ferimentos?, disse. ?Estamos principalmente muito felizes?. Dois dos palestinos do grupo cumpriram pena em prisões israelenses - um por atacar soldados de Israel e o outro, por suspeita de terrorismo. Dois dos israelenses são ex-integrantes de uma unidade militar de elite. A expedição foi organizada pelo grupo Missões de Paz Radicais, ?na crença de que a superação física de obstáculos por meio do trabalho conjunto em equipe rumo a objetivos comuns pode unir israelenses e palestinos?, segundo o porta-voz Torsten Sewig.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.