Israelenses e palestinos discordam sobre trégua

Israelenses e palestinos entraram emcontrovérsia neste domingo com relação às condiçõesnecessárias para a abertura da negociação de uma trégua.Enquanto isso, tanques do Exército de Israel invadiram a cidadecisjordaniana de Ramallah, numa incursão retaliatória,provocando um tiroteio que causou a morte de um palestino e deum soldado israelense.O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, disse que asnegociações de uma trégua só poderiam ser iniciadas após doisdias inteiros sem nenhum ataque palestino. Mas o líder palestinoYasser Arafat rejeitou categoricamente a sugestão ao dizer que aviolência é causada pelas constantes incursões israelenses emterritórios palestinos."Se a calma absoluta durar 48 horas contínuas, nosso ministrode Relações Exteriores se reunirá com Arafat para que sejapossível avançar com o cessar-fogo", disse Sharon durante umasessão extraordinária do Parlamento, que se reuniu parademonstrar solidariedade aos Estados Unidos após os ataquesterroristas de terça-feira.Na Cidade de Gaza, Arafat declarou: "Estamos comprometidoscom o cessar-fogo. Estamos prontos para o diálogo político aqualquer momento, em qualquer lugar." Durante o atual conflito no Oriente Médio, que já dura quaseum ano, múltiplos esforços para negociar um cessar-fogo foramdispendidos, mas fracassaram.Uma reunião entre Arafat e o ministro israelense das RelaçõesExteriores, Shimon Peres, deveria ocorrer neste domingo. Porém,Sharon a cancelou após apresentar sua objeção. Sharon disse queiniciar a negociação de uma trégua num momento como este "dariaa Arafat a legitimidade de um bom moço".Na sexta-feira, o presidente dos Estados Unidos, George W.Bush, telefonou a Sharon para pedir que a negociação de umatrégua seja iniciada em breve. O governo norte-americanoacredita que acalmar a tensão entre israelenses e palestinos éimportante para seus esforços de reunir os Estados árabes numacoalizão internacional antiterrorismo.Os Estados árabes estão insatisfeitos com a políticanorte-americana para a região e acreditam que os Estados Unidosprecisam adotar uma postura mais rígida com relação a seusaliados em Israel.No entanto, Sharon parece resistir aos pedidosnorte-americanos, acreditando que Arafat deveria ser isolado erotulado como líder terrorista, posição com a qual concorda seugabinete. Sharon chegou também a comparar Arafat com omilionário saudita Osama bin Laden, principal suspeito dosataques contra os Estados Unidos.A incursão israelense em Ramallah, iniciada nas primeirashoras de hoje, foi uma resposta a um ataque ocorrido emJerusalém no fim da noite de sábado, no qual um israelensemorreu e outro ficou ferido, informou o Exército.Pouco depois, os tanques israelenses trocaram fogo pordiversas horas com forças palestinas de segurança e milicianosem Ramallah. Os tanques, acompanhados por helicópteros,bombardearam postos de checagem palestinos, um prédiopertencente à inteligência palestina e três casas, disseramfontes palestinas. Um soldado israelense morreu e outro ficou ferido, informou oExército. Um palestino morreu e 25 ficaram feridos, disserampalestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.