Israelenses e palestinos morrem em novos confrontos

Na noite desta quinta-feira, palestinos abriram fogo contra um veículo nas proximidades da cidade cisjordaniana de Hebron, causando a morte de um israelense, informou o Exército. O carro trafegava por uma rodovia utilizada por colonos judeus para atravessar cidades palestinas, quando homens armados abriram fogo nas proximidades de um campo de refugiados palestinos. O incidente causou a morte do motorista do veículo, morador de Carmei Tsur, um assentamento judaico situado nas proximidades. Ele foi identificado como Dr. Shmuel Gillis, de 42 anos, um importante cientista do Hospital de Hadassah, em Jerusalém. Pouco antes, um palestino havia sido baleado e morto, aparentemente por outros palestinos, nas proximidades de sua residência, no vilarejo de Salfit. Vizinhos comentaram que ele era suspeito de colaborar com o Estado judeu. Ahmed Mouhasim, de 22 anos, do campo de refugiados palestinos de Jabaliya, próximo à Cidade de Gaza, foi assassinado a tiros por soldados israelenses no entroncamento de Karni. Segundo militares israelenses, os soldados apenas responderam ao fogo palestino. Horas mais cedo, o israelense Lior Atias, de 23 anos, foi morto a tiros quando foi buscar seu carro numa oficina em Jenin, na Cisjordânia. Ao anoitecer, palestinos abriram fogo contra um veículo próximo à cidade de Hebron, matando outro israelense. Em quatro meses de violência, 383 pessoas morreram, sendo 322 palestinos, 13 árabes-isralenses, 47 israelenses e um médico alemão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.