Israelenses entram em confronto com guerrilheiros no leste do Líbano

Soldados israelenses entraram em confronto com militantes do Hezbollah e permaneceram cercados por algumas horas dentro de um hospital em Baalbek, no leste do Líbano, no início desta quarta-feira (horário local). O Exército israelense confirmou a operação na cidade, informando que os soldados mataram alguns guerrilheiros do Hezbollah, capturaram outro e retornaram a salvo para a base. Os militares israelense não deram mais detalhes sobre a ação. O porta-voz do Hezbollah, Hussein Rahal havia afirmado que os soldados foram vítimas de uma emboscada. "Um grupo de comandos israelenses foi trazido ao hospital por helicópteros. Eles entraram no hospital e permaneceram presos enquanto nossos milicianos atiram neles", disse Hussein Rahal.Rahal disse que os guerrilheiros atiraram com lançadores de granada e rifles automáticos e negou os rumores de que os israelenses tinham por objetivo seqüestrar pacientes do hospital e fugir do local em helicópteros.Aviões israelenses soltaram mais de 10 bombas nas cercanias do hospital, assim como nas colinas a leste e norte de Baalbek. Ainda de acordo com as testemunhas, os aviões também soltaram panfletos sobre a cidade enquanto duros combates eram travados nos arredores do hospital.Em um segundo ataque, aviões lançaram mísseis em bairros residenciais ao leste e norte de Baalbek, onde apoiadores do Hezbollah vivem. Não houve relatos de vítimas fatais.Helicópteros também teriam aberto fogo contra guerrilheiros do Hezbollah entrincheirados do lado de fora do hospital.Logo após o início dos ataques aéreos israelenses, a eletricidade da cidade foi cortada, deixando Baalbek e outras vilas adjacentes totalmente às escuras. Ligações eram feitas ao hospital de Dar al-Hikma, mas ninguém respondia.A luta terminou por volta das 4 horas da manhã e a cidade está em um estado de calma temporária, afirmaram os residentes. Um dos moradores da cidade, disse que o hospital Dar al-Hikma é financiado por uma instituição de caridade iraniana, a Sociedade Beneficente Imam Khomeini, próxima ao Hezbollah. Segundo ele, o hospital também é administrado por pessoas próximas ao grupo.Baalbek está a 100 quilômetros a norte do Rio Litani, posição que não seria ultrapassada pela ofensiva, segundo anunciado mais cedo pelo comando militar israelense. Texto atualizado às 23h40

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.