Israelenses invadem Jenin e Jericó

Tanques e buldôzeres israelenses invadiram hoje as cidades de Jericó e Jenin, na Cisjordânia, e provocaram as mortes de três palestinos. Essa é a segunda invasão à cidade de Jenin em dois dias. As invasões aconteceram por volta das 2 horas da quarta-feira (20 horas, em Brasília). O Exército de Israel não comentou nenhuma das operações.Trocando tiros com os moradores da cidade, os soldados israelenses destruíram o que havia sobrado de uma delegacia de polícia palestina, que havia sido atacada ontem por membros do Exército de Israel.Os palestinos disseram que os tanques bombardearam casas e abriram fogo contra as pessoas nas ruas, deixando três mortos - uma mulher e um homem, que estavam escondidos em uma casa, e um atirador palestino. Outras nove pessoas foram feridas durante a incursão em Jenin.Ao mesmo tempo em que invadiam Jenin, forças israelenses se preparavam para também entrar em Jericó. Autoridades de segurança palestinos disseram que 22 tanques e 3 buldôzeres israelenses foram enviados à cidade.O negociador palestino Saeb Erekat, que vive em Jericó, traçou um paralelo entre os atentados terroristas em Nova York e Washington com as incursões em Jericó e Jenin. Ele disse que "os israelenses estão usando a tragédia, aproveitando que a atenção do mundo está voltada para outros lugares". "Ninguém fez nada para provocar essas invasões."Ele disse à Associated Press que ligou para o enviado norte-americano ao Oriente Médio, William Burns, e para o enviado da União Européia Miguel Moratinos para reclamar sobre a movimentação israelense.Em outro caso de violência, uma mulher israelense foi morta em uma emboscada feita por atiradores palestinos na Cisjordânia, no começo da madrugada nesta quarta-feira. Espaço aéreoEnquanto isso, o governo de Israel começava a levantar as restrições adotadas após os ataques terroristas nos Estados Unidos. O espaço israelense está sendo aberto gradualmente, disse Pini Schiff, porta-voz da Autoridade Portuária. A fronteira terrestre de Israel, porém, permanece fechada por tempo indeterminado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.