Israelenses são inocentados em ataque a flotilha

JERUSALÉM

, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2011 | 00h00

Um inquérito israelense absolveu ontem o governo de Israel de delito na operação militar contra o navio de ajuda humanitária turco que, em 31 de maio de 2010, tentou furar o bloqueio à Faixa de Gaza. O inquérito responsabiliza os passageiros pela violência, que resultou na morte de nove pessoas.

A Comissão Turkel, cujo relatório formará o núcleo da defesa de Israel na investigação da ONU sobre o incidente, endossou o fechamento do mar, mas pediu revisão sobre as sanções contra os líderes do Hamas, em Gaza, para poupar os civis do território. A comissão também disse que o bloqueio é justificado por causa da ameaça de fornecimento de armas ao Hamas. A entidade turca IHH, dona do navio, foi acusada de "resistência planejada e extremamente violenta", "diretamente ligada ao conflito armado entre Israel e o Hamas".

A Turquia afirmou estar "assombrada" com o divulgado. O governo turco disse ainda que a conclusão da comissão foi que tanto o bloqueio contra Gaza quanto o assalto à embarcação violam leis internacionais.

Os laços entre a Turquia e Israel, antes fortes, foram afetados. Ancara exigiu desculpas formais e indenização para as famílias dos mortos e feridos. Israel rejeita atender as exigências. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.