Israelenses vêem manobra de Olmert em negociação de paz com a Síria

O anúncio de que Israel está negociando um acordo de paz com a Síria tem causado a reação cética dos israelenses. Para muitos deles, o primeiro-ministro, Ehud Olmert, abalado por escândalos políticos, divulgou a notícia no momento propício para desviar a atenção das acusações de corrupção que ameaçam pôr fim ao seu mandato.Pesquisas divulgadas pelo jornal Yediot Ahronot indicam que os israelenses estão cautelosos quanto à possibilidade de sucesso nas negociações. Só 36% acreditam que as negociações com a Síria tenham realmente a paz como objetivo, enquanto 49% crêem que Olmert quer apenas desviar a atenção das investigações policiais.As primeiras negociações entre Israel e Síria em oito anos, sob mediação da Turquia, terminaram ontem em Istambul. Foram três dias de reuniões secretas. Ao fim do encontro ficou claro que Damasco exige como condição fundamental para a paz a devolução das Colinas do Golan, enquanto os israelenses querem que os sírios se afastem do Irã e renunciem ao terrorismo. ATAQUE Ontem, um militante palestino detonou um caminhão-bomba carregado com 4 toneladas de explosivos na principal passagem fronteiriça entre Gaza e Israel. Embora a explosão tenha matado apenas o motorista do caminhão, a força do impacto derrubou parte do muro e abalou vários prédios nos dois lados da fronteira. O ataque levanta suspeitas de que grupos palestinos estejam utilizando as mesmas táticas da Al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.