Itália abrirá caso contra o Brasil em Haia, diz Frattini

A Itália planeja entrar com um pedido de investigação no Tribunal Internacional de Justiça, em Haia, a respeito do caso Cesare Battisti, o italiano condenado por homicídio na Itália, na década de 1980, que obteve refúgio no Brasil, cujo governo negou a extradição a Roma. O ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, disse nesta quinta-feira que o caso Battisti representa uma "vergonha para o Brasil", de acordo com a agência Ansa.

AE, Agência Estado

08 Setembro 2011 | 16h40

Frattini prometeu abrir um caso contra o Brasil em Haia até o final deste mês. O Tribunal Internacional de Justiça julga litígios de várias naturezas entre países.

Battisti fugiu de uma penitenciária italiana em 1981, enquanto esperava julgamento por assassinatos políticos cometidos na década de 1970 pelo grupo político no qual ele militava, o Proletários Armados pelo Comunismo (PAC). Battisti foi detido no Brasil em 2007, após passar longas temporadas no México e na França. Libertado recentemente, Battisti recebeu documentos que lhe permitem viver e trabalhar no Brasil.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.