Itália apreende em porto explosivos que podem ser do Irã

Autoridades italianas apreenderam uma "grande" quantidade de poderosos explosivos RDX, que podem ter vindo do Irã, informou a polícia hoje. Os explosivos foram apreendidos ontem, em um contêiner de um navio chamado Finlândia, que estava ancorado em Gioia Tauro, um porto na Calábria, no sul do país.

AE-AP, Agência Estado

22 de setembro de 2010 | 14h35

O chefe da polícia da Reggio Calábria, Carmelo Casabona, disse à emissora privada italiana Sky 24 que a quantidade de explosivos era muito grande para abastecer apenas a máfia calabresa. Ele não especificou, porém, qual seria o suposto destino do material.

Casabona disse que a polícia ainda busca identificar os proprietários dos explosivos, mas aparentemente eles vieram do Irã. Ele não deu mais informações sobre o tema. Outro oficial de polícia, Renato Cortese, disse que funcionários estavam examinando o navio para tentar determinar a origem da embarcação. A mídia italiana afirmou que foram apreendidas pelo menos sete toneladas de RDX.

Também conhecido como T4, o RDX é um poderoso explosivo militar, que tem sido usado em grandes ataques atribuídos à máfia italiana nos últimos anos. O navio onde o material foi encontrado pertence a uma empresa ítalo-suíça, a MSC, e estava sob bandeira da Libéria, segundo autoridades. A empresa não se manifestou sobre o caso.

Tudo o que sabemos sobre:
apreensãoexplosivosItáliaIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.