Filippo MONTEFORTE / AFP
Filippo MONTEFORTE / AFP

Itália apresenta nesta semana plano para sair de confinamento

Giuseppe Conte afirmou que não pode 'reabrir tudo de imediato' e que processo será lento e gradual; Itália é o país europeu mais afetado pela pandemia

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2020 | 09h56

MILÃO - O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, anunciou nesta terça-feira, 21, que apresentará, "antes do fim de semana", as medidas para flexibilizar as restrições, reativar a economia do país e sair de maneira progressiva da crise do coronavírus. "Gostaria de poder dizer: 'vamos reabrir tudo'. De imediato", escreveu Conte, em uma longa mensagem em sua conta no Facebook.

"Mas uma decisão deste tipo seria irresponsável. Faria subir a curva de contágio de maneira descontrolada e tornaria vãos todos os esforços que fizemos até agora", acrescenta.

País europeu mais afetado pelo coronavírus, com mais de 24 mil mortos, a Itália está em quarentena desde 9 de março. Em algumas regiões do norte, o confinamento começou um pouco antes. Prolongado duas vezes pelo governo, o confinamento deve terminar em 3 de maio.

"Este governo colocou a proteção da saúde de seus cidadãos em primeiro plano, mas, certamente, não é insensível ao objetivo de preservar a eficácia do sistema de produção", diz Giuseppe Conte. Em sua mensagem, o primeiro-ministro expõe as dificuldades relacionadas com a "fase 2" de reativação do país.

"Podemos pensar, de maneira razoável, que vamos aplicar isso a partir de 4 de maio", afirma Conte, que deve falar sobre a crise no Parlamento, às vésperas do Conselho Europeu, na quinta-feira.

"Vamos parar de sermos duros com nosso país. O mundo inteiro está em dificuldades. Podemos ficar orgulhosos da maneira como enfrentamos esta prova tão difícil", completa. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.