Itália assina acordo para frear migração de líbios

A Itália assinou ontem um acordo com o chefe do governo interino rebelde da Líbia para tentar reduzir o fluxo de imigrantes ilegais que fogem para o país pelo Mar Mediterrâneo.

Reuters, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2011 | 00h00

Milhares deixaram a Líbia desde fevereiro, quando começou o levante contra Muamar Kadafi. A maioria tenta atravessar o Mediterrâneo e chegar à Itália em barcos sem segurança e mais de 1.600 morreram na tentativa de chegar à Ilha de Lampedusa.

O chanceler italiano, Franco Frattini, e Mahmoud Jebril, líder do Conselho Nacional de Transição (CNT), concordaram em trocar informações sobre migração ilegal e redes criminosas organizadas que a incentivam, assim como cooperar no repatriamento de ilegais. "Esse acordo mostra como é próxima a colaboração entre a Itália e o CNT, e a seriedade com que o CNT considera a cooperação com os países que o reconheceram", disse Frattini numa entrevista coletiva em Nápoles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.