Itália começa o julgamento de suspeito do atentado em Madri

Advogados de defesa questionaram nesta terça-feira a existência de uma célula extremista supostamente formada na Itália pelo egípcio Rabei Osman Sayed Ahmed, suspeito de liderar os atentados de 11 de março de 2004 contra Madri. Ele começou a ser julgado nesta terça-feira em Milão por acusações de terrorismo internacional e conspiração para um novo ataque.Luca D´Auria, advogado indicado pela corte para defender Ahmed, apresentou uma série de objeções técnicas a acusações da promotoria, entre elas a de que a célula liderada pelo egípcio estaria planejando um novo ataque contra um alvo ainda desconhecido.O juiz rejeitou as objeções de D´Auria, mas acatou um pedido da defesa para que especialistas independentes revisassem as traduções de conversas gravadas por meio de escuta entre Ahmed e outras pessoas para checar a veracidade da denúncia.A corte entrou em recesso até 7 de abril para que os especialistas tenham tempo de traduzir as fitas.Algemado e vestindo uma túnica branca, Ahmed assistiu à audiência, algumas vezes auxiliado por um intérprete, e em diversos momentos folheou um livreto dentro da cela montada no interior da corte.Com base em informações fornecidas pelas autoridades espanholas, a polícia italiana deteve Ahmed em Milão três meses depois dos atentados que deixaram 191 mortos e mais de 1.500 feridos em Madri quase dois anos atrás. Ahmed é acusado de recrutar extremistas e de ser o líder de uma célula estabelecida na Itália. Autoridades italianas e espanholas acreditam que o egípcio de 34 anos seja o mentor dos atentados contra Madri.Ele alega inocência e nega pertencer a alguma organização extremista. O réu também nega ser sua a voz contida nas gravações apresentadas como evidências de que ele recrutaria militantes para missões suicidas no Iraque e em outras partes do mundo.A justiça italiana também julga Yahia Ragheh, um egípcio de 22 anos detido na mesma operação que Ahmed. Ragheh é apontado como um futuro militante suicida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.