EFE/EPA/ANGELO CARCONI
EFE/EPA/ANGELO CARCONI

Itália começa reabertura parcial do comércio em regiões do país

Livrarias, papelarias e lojas de roupas infantis podem funcionar, mas há exceções 

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2020 | 09h38

A Itália começou nesta terça-feira, 14, uma fase inicial de reabertura, liberando parcialmente algumas atividades paralisadas pela pandemia do novo coronavírus. O país também adotou novas regras, anunciadas pelo primeiro-ministro Guiseppe Conte na sexta-feira.

Livrarias, papelarias e lojas de roupas para bebês e crianças poderão reabrir, exceto em Emilia-Romagna e nas províncias de Piacenza e Rimini. Já nas regiões de Lombardia e Piemonte, apenas as lojas de roupas infantis poderão funcionar.

A Itália também passará a permitir que estrangeiros possam ingressar no país - exclusivamente a trabalho - por um período de até três dias, que pode ser prorrogado por mais dois.

Para isso, o viajante deve entregar um certificado ao chegar e, caso não possa retornar ao seu lugar de origem após esses cinco dias, deverá entrar em quarentena.

Outras atividades liberadas a partir desta terça - desde que se respeitem rigorosas regras de higiene e distanciamento físico - são relacionadas à produção industrial e incluem fabricação de computadores, cuidados e manutenção da paisagem, obras hidráulicas e vendas por atacado de papel e papelão.

Também nesses setores há exceções para algumas regiões do país, detalhadas em um decreto assinado por Conte no último dia 10.

O decreto também permite que empresas que não estão funcionando possam autorizar a entrada de funcionários ou terceirizados para serviços de manutenção, conservação, limpeza ou desinfecção e segurança, além do despacho e recebimento de mercadorias.

Uma série de regras foi estabelecida para que essas atividades possam ser adotadas, incluindo a distância que as pessoas devem respeitar umas das outras, o tipo de limpeza e ventilação que deve ser introduzido nos locais e o uso de acessórios como máscaras e luvas, além do controle do número de pessoas por metro quadrado.

O número de mortes na Itália está caindo, mas o país ainda é o segundo com mais mortes no mundo, atrás dos Estados Unidos. Na segunda-feira, eram 20.465 mortes, e 159.516 casos de Covid-19, segundo a universidade Johns Hopkins./AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.