Itália decreta o que é uma pizza napolitana autêntica

Parlamentares italianos examinam um detalhado projeto de lei que estabelece regras para proteger a verdadeira pizza napolitana. O projeto de lei - que visa separar a verdadeira pizza das imitações - , possui três páginas de extensão, com oito artigos, seis cláusulas e foi publicado sob o selo estatal na Gazeta Oficial. O texto decreta que a pizza napolitana deve ser redonda e seu diâmetro não pode superar os 35 centímetros. O centro da pizza não deve superar a 3 milímetros de espessura e a borda não pode passar de dois centímetros. A lei especifica quais os tipos de farinha, sal, fermento e tomates que podem ser usados. As cláusulas são recheadas de detalhes. Um exemplo é a Margarita, uma variedade clássica, que não pode ser coberta com qualquer tipo de mussarela. Na verdadeira pizza, utiliza-se uma mussarela especial, produzida nos montes Apeninos do sul. Os rolos de amassar são considerados uma "blasfêmia" e as máquinas que preparam as massas são quase uma heresia. A lei da verdadeira pizza napolitana estabelece que as massas devem ser preparadas a mão. Uma frase, retirada do texto determina como deve ser a verdadeira pizza: "Em linhas gerais, ela - a pizza - deve ser suave, elástica e fácil de ser dobrada pela metade, para formar um pequeno livro". Se os restaurantes seguirem as especificações que constam na nova lei, poderão identificar sua pizzas com o STG - o selo de Especialidade Tradicional Garantida. Os fabricantes de pizzas napolitanas convenceram o ministério da agricultura italiano a elaborar a nova legislação. O intuito é proteger suas especialidades das muitas cópias fraudulentas e agora, ilegais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.