Itália defende Berlusconi na presidência européia

O governo italiano respondeu a seus críticos ao assumir a presidência rotativa da União Européia (UE), afirmando que as denúncias contra o primeiro-ministro Silvio Berlusconi são "insultantes e difamatórias". O chanceler italiano, Franco Frattini, disse no Parlamento que o governo está plenamente capacitado para liderar o bloco de 15 nações, principalmente em um momento em que a UE tenta reparar suas relações com Washington, finalizar sua Constituição e receber 10 novos membros no próximo ano. A Itália, disse Frattini, assume a liderança da UE durante uma "época histórica", que o governo pretende aproveitar para o interesse de italianos e europeus, "inclusive aqueles que acusam o governo mediante manifestações insultantes e difamatórias". Frattini respondeu, assim, às várias críticas dos meios de comunicação europeus, que destacaram os problemas legais e conflitos de interesses de Berlusconi, e colocaram em dúvida o compromisso do premier com os interesses do continente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.