Itália defende luta contra a forme em reunião da ONU

A Itália defende a garantia de alimentos como prioridade para os fazedores de polícia global, afirmou nesta quarta-feira o primeiro-ministro italiano Enrico Letta, em seu discurso de abertura na Assembleia Geral das Nações Unidas.

AE, Agência Estado

25 de setembro de 2013 | 19h30

"Deveríamos nos focar nas causas dos males que afligem nosso mundo ao invés de nos limitarmos aos efeitos secundários", afirmou Letta. "Chegou o momento de lançar um novo consenso global contra a fome."

Em 2008, a Itália, cujo limitado poder de fogo financeiro devido aos seus problemas fiscais crônicos, tentou tornar a luta contra a fome tema da reunião do G-8 em Áquila, na Itália, propondo que as maiores economias disponibilizassem em torno de US$ 15 bilhões pela causa.

Na época, a crise financeira global havia tomado conta dos recursos públicos e da atenção, ainda que a séria alta nos preços de alimentos básicos que ajudou a estimular a chamada Primavera Árabe tivesse alimentado temores de que políticas de relaxamento monetário nas economias desenvolvidas pudesse disparar uma alta ainda maior nos preços dos produtos básicos. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ItáliaONULetta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.