Itália detém 6 acusados de ajudar grupo ligado à Al-Qaeda

A polícia de Milão prendeu nesta terça-feira seis pessoas acusadas de dar suporte logístico a membros de um grupo extremista islâmico vinculado à Al-Qaeda e suspeito de ter mantido contatos com Ramzi Binalshibh, considerado pela acusação o coordenador dos ataques de 11 de setembro.Os seis - cinco tunisianos e um marroquino - são acusados de ajudar o Grupo Salafista para a Convocação ao Combate, baseado na Argélia e que atua em Milão. Foram detidos em uma série de buscas e acusados de dar suporte logístico e financeiro para práticas de terrorismo, fraude, imigração ilegal, uso de documentos falsos, entre outras atividades fora da lei. Segundo notícias da imprensa italiana, a polícia interceptou ligações telefônicas entre os suspeitos e Binalshibh, que foi detido no Paquistão em setembro passado e está sob custódia dos EUA em local não divulgado.Binalshibh era companheiro de quarto de Mohammed Atta, o seqüestrador de um dos aviões usados nos ataques de 11 de setembro. Acredita-se que os seis detidos sejam mebros da mesma célula chefiada por Essid Sami Ben Khemais, o qual, segundo as autoridades italianas, seria o supervisor das operações ordenadas por Osama bin Laden na Europa. Ben Khemais e outros seis tunisianos foram condenados no ano passado por ajudar supostos combatentes da Al-Qaeda a obterem documentos falsos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.