Itália e França assinam acordo de cooperação nuclear

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, assinaram hoje em Roma um compromisso de cooperação nuclear que abrange desde a pesquisa e o tratamento de lixo nuclear até a construção de usinas atômicas de última geração na Itália. Antes do encontro, o ministro italiano da Indústria, Claudio Scajola, afirmou que o acordo também incluiria cooperação tecnológica e treinamento.O documento abre caminho para o fim da suspensão ao programa nuclear italiano, que foi decidida por referendo há 21 anos, depois do desastre de Chernobyl, em 1987. Para o governo Berlusconi, é necessário retomar o programa o quanto antes. "Com a França propondo uma aliança ilimitada, precisamos acordar desse sono e começar a construir usinas atômicas", afirmou durante uma coletiva, argumentando que a produção de energia nuclear é limpa e segura.Berlusconi também disse compartilhar com Sarkozy a opinião de que o futuro da Europa não são os combustíveis fósseis, mas "as energias renováveis" e "a nuclear". Segundo Sarkozy, a energia atômica tem de se tornar "um assunto europeu, pois representa a chave do desenvolvimento".O acordo teve o apoio da empresa de serviços públicos italiana Enel e da gigante energética francesa EDF, que farão um estudo conjunto para a construção de quatro instalações atômicas na Itália. A primeira delas tem funcionamento previsto para 2020. As informações são da Associated Press.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.