Itália e Grécia mediam crise política na Albânia

Os ministros das Relações Exteriores da Itália e da Grécia estão nesta segunda-feira na Albânia, onde tentam convencer o governo e a oposição a chegarem a um acordo político para aprovar reformas que permitam ao país aderir à União Europeia (UE). O chanceler italiano Franco Frattini e o grego Stavros Lambrinidis tiveram uma reunião com o primeiro-ministro albanês, Sali Berisha, e com líderes da oposição socialista. A proposta da Albânia para virar país candidato a pertencer à UE foi derrubada em 2010.

AE, Agência Estado

12 Setembro 2011 | 17h12

O premiê Berisha e a oposição albanesa estão divididos e em pontos opostos. Na semana passada, os socialistas suspenderam um boicote parlamentar e aprovaram as reformas exigidas pela UE, mas ainda não está claro se aprovarão toda a legislação necessária.

A UE agora decidirá no próximo mês se a Albânia cumpre os requerimentos para virar um país candidato - o último passo para obter adesão plena ao bloco. A UE espera que a Albânia cumpra uma série de reformas, incluída a eleitoral, melhora na administração pública, no judiciário, luta contra a corrupção e o crime organizado, bem como solução de questões sobre o direito de propriedade.

As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Albânia Europa Sali Berisha

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.