Andrew Medichini / AP
Andrew Medichini / AP

Itália eleva nível de alerta de segurança após FBI informar sobre possíveis ataques

Polícia americana informou sobre cinco suspeitos que estão sendo procurados e pediu que turistas tomem cuidados específicos 

O Estado de S. Paulo

19 de novembro de 2015 | 09h33

ROMA - A Itália aumentou o nível de alerta de segurança para 2, o mais alto possível na falta de uma taque direto ao país, em seus principais monumentos no Vaticano, em Roma e em Milão na quarta-feira 18, após advertências por parte do FBI, a Polícia Federal americana, sobre possíveis atentados, informou a imprensa local.

A praça São Pedro, a Catedral de Milão e sua famosa Scala são alguns dos possíveis alvos, teria dito o FBI, que também forneceu informações sobre cinco indivíduos potencialmente perigosos buscados pelas autoridades. O governo italiano já havia elevado seu nível de alerta após os ataques da sexta-feira 13 em Paris.

Em diferentes ocasiões, a propaganda do Estado Islâmico (EI) apontou a sede da Igreja católica como um alvo. As autoridades italianas disseram que, até agora, não há indícios de um complô específico.

Nesta quinta-feira, 19, o ministro das Relações Exteriores da Itália, Paolo Gentiloni, disse que os "possíveis ataques terroristas poderiam ser na Basílica de São Pedro, em Roma, ou (a catedral) Duomo, ou o teatro Scala, em Milão". "Desde ontem nossas forças de segurança estão trabalhando para identificar cinco pessoas", disse em entrevista à rede estatal de TV RAI.

Gentiloni disse que a Embaixada dos EUA em Roma recomendou que turistas tomassem cuidados específicos em certas partes da Itália, mas não aconselhou que não fossem ao país. /AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.