Itália enfrentará recessão em 2012, diz presidente do BC

O presidente do Banco Central da Itália, Ignazio Visco, disse hoje que a terceira economia da zona do euro vai retomar o crescimento a partir do próximo ano, mas confirmou as previsões de que 2012 será um "ano de recessão". Ele também descreveu os bancos italianos como saudáveis em termos de adequação de capital, mas alertou que a perspectiva para a recuperação de seus lucros não é boa. Visco substituiu Mario Draghi como presidente do BC da Itália no ano passado, após Draghi ter assumido o cargo de presidente do Banco Central Europeu.

AE - AP, Agência Estado

18 de fevereiro de 2012 | 15h24

De acordo com o Boletim Econômico divulgado em janeiro, a economia italiana entrou em recessão no último trimestre do ano passado. "Este será um ano de recessão e esperamos um declínio de 1,5% no PIB", afirmou Visco. Embora a economia italiana tenha registrado declínio nos dois últimos trimestres do ano passado, a atividade total registrou crescimento anêmico de 0,4% em 2011.

O economista Mario Monti, que assumiu o cargo de primeiro-ministro da Itália em novembro do ano passado, vem tentando manter a Itália longe da possibilidade de ser a próxima vítima da crise de dívida soberana da Europa. Ele administrou rapidamente um plano de reforma para conter o custo do generoso sistema de aposentadorias italiano.

Até o momento, entretanto, Monti não conseguiu convencer os líderes das poderosas uniões trabalhistas do país a aceitarem as reformas no sistema de trabalho, que incluem medidas para facilitar a demissão de trabalhadores. O primeiro-ministro, no entanto, prometeu seguir com as reformas mesmo sem o apoio das lideranças trabalhistas.

Mais conteúdo sobre:
Itáliarecessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.