Itália expulsa marroquino condenado por conspiração

O Ministério do Interior da Itália disse hoje que um extremista islâmico, que fazia parte de uma célula que planejava ataques contra o sistema de metrô de Milão e a principal catedral da cidade, o Duomo, foi expulso para o Marrocos, de onde é originário.

AE, Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 14h08

O ministério afirma que o extremista Khalid Khamlich foi embarcado em um voo para Casablanca hoje, logo após ter sido libertado da prisão, onde cumpriu uma sentença de cinco anos e meio. Para a expulsão, foram citadas "razões de ordem pública e segurança do Estado".

Khamlich foi condenado em 2007 por ter vínculos terroristas. As autoridades afirmam que ele fez parte de uma célula terrorista islamita que agia no norte da Itália, a partir da cidade de Cremona (Lombardia), próxima a Milão. Os supostos terroristas teriam planejado um ataque ao sistema de metrô e à catedral da metrópole do norte italiano. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.