Itália faz caçada a recrutadores de suicidas

Três homens originários do norte da África foram presos na Itália e na Alemanha, como parte de uma operação para esmagar uma rede de recrutamento de muçulmanos para missões suicidas no Iraque, disseram autoridades. Dois outros suspeitos, um iraquiano e uma tunisiana, continuam foragidos, disse o Ministério do Interior italiano.Todos os cinco suspeitos são acusados de associação para promover o terrorismo internacional, figura que entrou na lei italiana após o 11 de setembro de 2001. O principal suspeito é um argelino acusado de ser o chefe da rede e um alto agente da Al-Qaeda.Abderrazak Mahdjoub foi preso em Hamburgo, Alemanha, com base em um mandado emitido em Milão, Itália. Ele já havia sido detido em julho, acusado de planejar um atentado na Espanha, mas acabou libertado por falta de provas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.