Claudio Peri/Ansa/EFE
Claudio Peri/Ansa/EFE

Itália fecha boates em meio a aumento de casos de coronavírus entre jovens

Novos casos na semana passada no país foram mais do que o dobro dos registrados há três semanas e a idade média das pessoas que contraem o vírus caiu para menos de 40 anos

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2020 | 17h50

ROMA - O governo da Itália anunciou neste domingo, 16, que fechará discotecas e clubes e tornará obrigatório o uso de máscara ao ar livre em algumas áreas durante a noite, na primeira reimposição de restrições à medida que os casos de coronavírus aumentam em todo o país, especialmente entre pessoas mais jovens. A regra passa a valer a partir desta segunda-feira até, pelo menos 7 de setembro. 

Os novos casos na semana passada na Itália, o primeiro país europeu a ser duramente atingido pelo coronavírus, foram mais do que o dobro dos registrados há três semanas e a idade média das pessoas que contraem o vírus caiu para menos de 40 anos, mostraram os dados.

As novas regras começarão a valer dois dias após um feriado italiano conhecido como "ferragosto", quando muitos jovens, de férias, saem para dançar e frequentar as praias.

As máscaras serão exigidas entre 18h e 6h em áreas próximas de bares e pubs e onde os encontros são mais prováveis.

“Não podemos anular os sacrifícios feitos nos últimos meses. Nossa prioridade deve ser a de abrir escolas em setembro, com toda a segurança”, disse o ministro da Saúde, Roberto Speranza, no Facebook. No sábado, ele havia exortado os jovens a serem o mais cautelosos possível, pois “se infectarem seus pais e avós, corriam o risco de causar danos reais”. 

O decreto também suspende o funcionamento das discotecas ao ar livre, já que os locais de festa em espaços fechados não haviam sido autorizados a retomar as atividades.

A medida foi anunciada após várias divergências entre o governo central e as autoridades regionais a respeito das restrições que deveriam ser aplicadas no setor de lazer noturno, que emprega quase 50 mil pessoas.

A imprensa publicou nos últimos dias imagens de vários grupos de jovens dançando em discotecas ao ar livre, ignorando as advertências das autoridades de saúde.

A Itália, primeiro país europeu afetado pelo coronavírus, registra 254 mil contágios e mais de 35 mil  mortes por covid-19. /REUTERS e AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.