Itália manterá cooperação com o Iraque após retirada militar

O ministro de Assuntos Exteriores da Itália, Massimo D´Alema, reafirmou nesta quarta-feira o compromisso de seu governo de manter a presença do país no Iraque "por meio da cooperação econômica, política e cultural", apesar da retirada das tropas italianas, prevista para ocorrer até o final do ano.O político também afirmou que a Itália destinará "nos próximos meses" 30 milhões de euros à reconstrução do Iraque pelo plano qüinqüenal de ajudas estabelecido recentemente pela ONU e o governo iraquiano.Após uma reunião com o vice-primeiro-ministro iraquiano Barham Saleh, D´Alema ratificou, em entrevista coletiva, que a Itália seguirá presente no país asiático por meio de ajudas e "desenvolverá cooperação entre todas as regiões iraquianas".No entanto, admitiu que tais planos não provocarão interferências no processo de retirada dos cerca de 2.600 militares italianos que se encontram na região sul do Iraque.Saleh insistiu na necessidade de se "reforçar a cooperação econômica entre Itália e Iraque também no setor energético", e comentou que realizou reuniões com representantes de companhias petrolíferas italianas."Estamos elaborando um projeto de lei sobre hidrocarbonetos que esperamos que promova investimentos no setor", acrescentou o representante iraquiano, que assegurou que seu governo tem uma "séria intenção" de "abrir o mercado às companhias estrangeiras".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.