Itália manterá soldados no Iraque, apesar de ameaça

O governo italiano reafirma que manterá seus soldados no Iraque, apesar das exigências feitas por terroristas que seqüestraram um jornalista italiano e exigem que o país europeu anuncie, dentro de 48 horas, que retirará todos os seus soldados da nação árabe. O jornalista Enzo Baldoni, de 56 anos, foi mostrado, aparentemente nas mãos de extremistas iraquianos, em uma mensagem de vídeo transmitida pelo canal árabe de notícias Al-Jazira.Um grupo militante autodenominado Exército Islâmico no Iraque não ameaçou claramente matar Baldoni, mas sua declaração alertava que os extremistas não se responsabilizariam pela segurança do jornalista se a Itália não anunciasse dentro de 48 horas que retirará todos os soldados do Iraque, disse o locutor da Al-Jazira.O gabinete do primeiro-ministro Silvio Berlusconi respondeu com uma garantia de que os 3.000 soldados italianos permanecerão no país árabe. "Estamos comprometidos em obter a libertação do senhor Baldoni, que está no Iraque fazendo um trabalho particular como jornalista e não está de nenhuma forma ligado ao nosso governo", dizia a declaração, divulgada em Roma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.