Itália não participará diretamente da guerra

A Itália não é uma nação que promove a guerra e ?não participará diretamente das ações militares contra o Iraque?, anunciou hoje o primeiro-ministro Silvio Berlusconi na Câmara de Deputados. A Itália não eviará tropas nem meios militares, disse Berlusconi.No entanto, o primeiro-ministro pediu autorização do Parlamento para disponibilizar bases e o espaço aéreo do país. ?Não para ações diretas contra o Iraque?, garantiu Berlusconi, assim como já fizeram França e Alemanha.A posição de Berlusconi reflete a decisão do Conselho militar italiano, que se reuniu pela manhã para definir os limites da participação do país na guerra.O presidente italiano, Carlo Azeglio Ciampi, Berlusconi, o gabinete do governo e o alto comando das forças armadas participaram da reunião do Conselho militar.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.