Itália prende cerca de 150 suspeitos em megaoperação contra a máfia

Prisões ocorreram no norte do país, mostrando que grupo 'Ndrangheta, originalmente do sul, está expandindo sua atuação.

BBC Brasil, BBC

08 de junho de 2011 | 18h39

A polícia italiana afirmou nesta quarta-feira ter feito uma megaoperação contra máfia mais perigosa do país, conhecida como 'Ndrangheta.

Durante a ação, que envolveu centenas de policiais, cerca de 150 suspeitos foram presos propriedades avaliadas em US$ 100 milhões, confiscadas. O patrimônio de dez empresas também foi congelado, como parte das investigações.

A maioria das prisões ocorreu em cidades do norte do país como Turim, Milão e Modena, distantes do reduto original da máfia, a Calábria, no sudoeste italiano.

Autoridades italianas já vinham afirmando que a 'Ndrangheta estava agindo bem além das regiões pobres do sul da Itália.

O grupo estaria comprando dezenas de negócios no norte italiano para serem usados na lavagem de dinheiro.

Sequestros

A comissão anti-máfia do parlamento italiano descreveu a 'Ndrangheta como a máfia mais perigosa da Itália, e também a mais rica.

O grupo começou a crescer e a fazer fortuna com sequestros e, em seguida, passou a agir no tráfico de drogas - especialmente de cocaína.

Agora, de acordo com investigadores italianos, a máfia aproveita a migração de italianos pobres da Calábria (sul) para o norte da Itália e para o exterior para expandir sua influência.

De acordo com o jornal italiano Corriere della Sera, um dos chefões do grupo foi preso na operação. Acusado de tráfico e homicídio, Carmine Amato era um dos criminosos mais procurados do país.

Do lado de fora da delegacia de Medina, ele protagonizou uma cena inusitada ao dar um abraço e um beijo na boca de outro detido na ação policial, Daniele D'Agnese.

O beijo seria um código para "mantenha o silêncio". Um funcionário da delegacia teve de intervir para separar os dois mafiosos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
italiamafia'Ndrangheta.calabria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.