Itália prende traficantes de barco de imigrantes no qual menina diabética morreu

Três homens do Egito, que estariam no comando do barco, teriam jogado insulina da criança no mar.

Estadão Conteúdo

18 de julho de 2015 | 17h05

A polícia da Sicília, na Itália, prendeu três homens do Egito que, supostamente, estavam no comando de um barco de imigrantes no qual uma garota de 10 anos com diabetes, que vinha da Síria, morreu após os traficantes jogarem sua insulina no mar.

O barco atracou no porto de Augusta, na Sicília, com 335 imigrantes à bordo, após uma semana navegando. Ele haviam embarcado perto de Alexandria, no Egito, de acordo com a organização Save The Children. A porta-voz da instituição, Giovanna di Benedetto, afirmou que os pais da menina relataram que no momento em que a família, de oito pessoas, entrou na embarcação, os traficantes jogaram no mar uma mochila aonde estava guardada a insulina para a menina. Ela morreu durante a viagem.

A agência de notícias, ANSA, afirmou que três egípcios forem presos por suspeita de tráfico de pessoas e imigração ilegal, mas não por homicídio.

Informações da Associated Press.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.