Itália publica decreto para impedir caso de eutanásia

O governo conservador italiano publicou hoje um decreto emergencial para impedir que uma mulher mantida em estado vegetativo há 17 anos tenha desconectados os tubos que a mantêm sendo alimentada artificialmente. O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, anunciou que o decreto assinado hoje declara que a alimentação e a hidratação artificiais de pacientes cuja sobrevivência dependa disso "não podem ser suspensas sob nenhuma circunstância".Numa medida incomum, o decreto foi aprovado apesar de recomendação contrária por parte do presidente do país, Giorgio Napolitano.Eluana Englaro é mantida em estado vegetativo há 17 anos. O pai dela venceu uma batalha jurídica e obteve o direito de desligar os aparelhos. Esta semana ela foi transferida para uma clínica no norte da Itália que aceitou desligar os aparelhos da paciente.A transferência desencadeou barulhentos protestos de grupos conservadores e de autoridades católicas para que Eluana seja mantida viva mesmo sendo seu coma irreversível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.