Efe
Efe

Itália resgata 1.400 imigrantes no mar Mediterrâneo

França também realizou uma operação e resgatou mais de 200 pessoas; os barcos em que estavam apresentaram problemas 

O Estado de S. Paulo

02 de maio de 2015 | 14h21


ROMA - Navios da Guarda Costeira e da Marinha italiana resgataram mais de 1.400 migrantes no mar Mediterrâneo neste sábado, 2. Os resgates foram feitos após os barcos em que os imigrantes ilegais estavam apresentarem problemas perto da Líbia.

Autoridades italianas afirmaram que 1.200 migrantes foram levados para portos da Itália após diversas operações de resgate, junto com outras 200 pessoas que haviam sido resgatadas na sexta-feira quando tentavam chegar ao continente em botes de borracha motorizados.

Os imigrantes desembarcaram por volta das 7 horas (2 horas pelo horário de Brasília) na ilha meridional italiana de Lampedusa em embarcações de patrulha da guarda-costeira. Todos são homens e asseguram ser de origem subsaariana.

As atividades de auxílio foram coordenadas pela central operacional do Centro Nacional de socorro da Guarda Costeira na capital italiana.

A Itália continua recebendo vários imigrantes procedentes da África em razão da sua posição geográfica, o que a transforma em ponte entre África e Europa, para onde as pessoas fogem dos conflitos.

Uma operação francesa resgatou também neste sábado 217 migrantes em três embarcações. Todos foram encaminhados a autoridades italianas. Dois suspeitos de serem traficantes de pessoas foram presos.]

Essa é a primeira operação de resgate operada pela França desde o dia 23 de abril, quando líderes europeus decidiram realizar patrulhas pelo Mediterrâneo, uma resposta à tragédia que deixou mais de 800 imigrantes mortos.

No dia 19 de abril, cerca de 850 pessoas morreram afogadas e apenas 28 sobreviveram quando o barco em que estavam naufragou.

O fluxo de imigrantes está maior com a chegada do período estival e o bom tempo em alto-mar, mas algumas vezes a viagem acaba em desastre. /AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.