Itália retira soldados no Iraque esta semana, anuncia Prodi

Os últimos soldados italianos ainda presentes no Iraque deverão voltar para casa ainda esta semana, anunciou nesta segunda-feira o primeiro-ministro da Itália, Romano Prodi. Com isso, a Itália encerrará sua presença militar no sul do país árabe depois de mais de três anos e meio. Entre 60 e 70 soldados italianos ainda estão em Nassíria, capital da província iraquiana de Dhi Qar, onde estavam estacionados. Eles entregaram o quartel onde estão lotados à polícia iraquiana entre a sexta-feira e o sábado, afirmou Prodi em Roma. Em 2003, o governo liderado pelo primeiro-ministro conservador Silvio Berlusconi enviou mais de 3.000 soldados italianos ao Iraque para auxiliar nos esforços de reconstrução depois da queda do ex-ditador iraquiano Saddam Hussein. O contingente italiano no Iraque já vinha sendo reduzido antes mesmo das eleições de abril, quando Prodi se elegeu. O primeiro-ministro de centro-esquerda manteve então a promessa de campanha de concluir a retirada italiana do Iraque até o fim deste ano. A Itália repassou formalmente a responsabilidade pela segurança em Dhi Qar às autoridades iraquianas em setembro. Desde o início da presença militar italiana, o país perdeu 35 soldados no Iraque, inclusive 19 carabinieri mortos num ataque ao quartel de Nassíria em 12 de novembro de 2003. Ainda nesta segunda-feira, a Grã-Bretanha e Polônia manifestaram a intenção de reduzir drasticamente ou encerrar a presença de seus soldados no Iraque até o fim do próximo ano.

Agencia Estado,

27 Novembro 2006 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.