Itália: Senador pede desculpas por ofender ministra

O vice-presidente do Senado italiano e membro da Liga Norte, Roberto Calderoli, pediu desculpas à ministra de Integração, Cécile Kyenge, após tê-la comparado a um orangotango. Mesmo diante de protestos, ele afirmou que está arrependido, mas que não renunciará ao cargo no Senado.

AE, Agência Estado

17 de julho de 2013 | 02h25

O Partido Democrático, do primeiro-ministro italiano Enrico Letta, pediu que o senador renunciasse. O próprio premiê afirmou que o partido de Calderoli deveria colocar um ponto final aos ataques racistas para evitar futuros confrontos políticos.

Antes das declarações de Calderoli, outros membros da Liga Norte, partido que é contrário à imigração, fizeram comentário racistas contra Kyenge. Um deles disse que a ministra deveria ser estuprada.

A ministra não respondeu aos insultos, afirmando que tem responsabilidade política, mas reconheceu que se tornou protagonista nos debates sobre o racismo na Itália.

Kyenge é uma médica nascida na República Democrática do Congo que se tornou a primeira ministra negra da Itália quando o gabinete de Letta foi empossado em abril. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
itáliasenadorracismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.