Itália trabalha pelo exílio de Saddam, diz Berlusconi

A Itália trabalha em planos para resolver a crise iraquiana, inclusive um acordo para que Saddam Hussein deixe seu país rumo ao exílio, disse o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi. Berlusconi fez seus comentários sobre o exílio durante um debate no Parlamento sobre a política da Itália com relação à crise no Iraque, informaram agências de notícias italianas."Estamos trabalhando por esta solução, mas não só esta solução, de forma que ele aceite o exílio oferecido com as garantias adequadas, sob a autoridade de órgãos internacionais em posição de manter essas garantias", disse Berlusconi, segundo as agências.Mais cedo, no entanto, o ministro das Relações Exteriores, Franco Frattini, comentara que Saddam parecia determinado a não aceitar a proposta de exílio. Na semana passada, o vice-primeiro-ministro do Iraque, Tarek Aziz, disse em entrevista a um jornal italiano que Saddam evitaria o exílio "a qualquer custo".Berlusconi não forneceu detalhes sobre o possível plano de exílio para Saddam, mas falou um pouco sobre algumas alternativas."Estamos trabalhando para convencer o ditador a dar garantias precisas à comunidade internacional", disse ele."Alguns exemplos são a abertura de espaço para a oposição num período de três meses, a garantia de eleições livres após um determinado período de tempo e a garantia de direitos civis e direitos humanos", prosseguiu Berlusconi.Segundo ele, os planos estão sendo elaborados "com o segredo necessário".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.