Itália vive quarto dia consecutivo de protesto pela paz

Pelo quarto dia consecutivo, pacifistas italianos bloquearam os trens carregados de armas destinados à base americana de Camp Darby, no centro do país. Dez pacifistas, de mãos dadas sobre os trilhos, estavam no caminho dos trens procedentes de Verona com destino a Camp Darby mas, pouco antes da chegada da composição, foram desalojados pela polícia. Cerca de 400 policiais e carabineiros garantiram a passagem do comboio com material militar pela região de Pisa, enquanto outros 50 agentes da unidade móvel de Verona acompanharam os trens pela rodovia.Os "desobedientes", como se chama o movimento que encabeça os protestos, que reúnem cerca de 400 associações, lançaram uma convocação para que em todas as cidades italianas continuem e se ampliem as iniciativas em apoio à campanha contra os trens de guerra. "O nosso boicote é pacífico e criativo", afirmou Bruno Paladini, líder dos "desobedientes" da Toscana, a região onde está a base dos EUA que concentra as armas a serem enviadas à Turquia.Em um mesmo dia, três trens foram bloqueados, já que de hora em hora são divulgadas, através da Internet, notícias atualizadas sobre o protesto dos pacifistas para boicotar a ajuda da Itália para a guerra no Iraque.Depois dos trens será a vez dos caminhões e navios, já que os portos fazem parte da infra-estrutura do país que está sendo posta à disposição do aparato militar americano.Na quinta-feira, deverá começar a greve dos portuários, que não querem colaborar com o transporte das armas e veículos destinados à Turquia e ao Iraque.

Agencia Estado,

25 de fevereiro de 2003 | 16h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.