Italianas recusam-se a deixar homens com seqüestradores

Três italianas seqüestradas no norte do Iêmen recusaram-se a deixar o cativeiros até que os seqüestradores libertem também os dois homens capturados junto com elas, disseram autoridades iemenitas. Os turistas italianos foram seqüestrados no domingo na província de Marib, ao norte da capital iemenita, Sanaa. Horas mais tarde, autoridades disseram que os seqüestradores haviam concordado em deixar as mulheres partir.Mas as mulheres recusaram-se a deixar o cativeiro até que os homens também sejam soltos, disseram líderes tribais e autoridades do governo, que pediram para não ser identificados. Os seqüestradores exigem que o governo solte oito membros de uma tribo. Um dos oito é acusado de homicídio.O premier iemenita, Abdul-Kader Bajammal, disse que o governo não negociará, e que mais soldados foram enviados para a área onde, acredita-se, os seqüestradores mantêm seu esconderijo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.