Italianos fazem manifestação em defesa dos imigrantes

Dezenas de milhares de italianos e estrangeiros participaram hoje de uma passeata em Roma para protestar contra as severas sanções contrárias à imigração defendidas pelo governo conservador do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi. O protesto deste sábado foi uma resposta à manifestação promovida no mês passado por partidários das sanções concentrados no norte da Itália, base do poder de Umberto Bossi, um dos ministros de Berlusconi acusado de discriminar estrangeiros. "Mais cuscuz, menos polenta", dizia um dos cartazes neste sábado, uma reação ao "Sim para a polenta, não para o cuscuz", lema dos seguidores de Bossi. A polenta, um prato feito à base de milho, é um prato favorito da classe trabalhadora no norte (região de Bossi), enquanto o cuscuz, feito de semolina, é popular no norte da África, terra natal de milhares de imigrantes na Itália. Em outubro, o gabinete de Berlusconi aprovou a legislação que torna a imigração ilegal um crime punível com até quatro anos de prisão. Atualmente, os imigrantes ilegais são expulsos. Berlusconi, cuja campanha eleitoral no ano passado prometia aos eleitores uma investida contra a imigração, goza de uma sólida maioria no Parlamento - que ainda precisa votar a lei proposta. Segundo a legislação em discussão, os imigrantes só poderão obter permissão para permanecer na Itália se conseguir um contrato de trabalho, ao final do qual teriam de deixar o país.

Agencia Estado,

19 Janeiro 2002 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.