EFE / EPA / ALESSANDRO DI MARCO
EFE / EPA / ALESSANDRO DI MARCO

Italianos protestam contra restrições impostas devido ao coronavírus

Episódios de violência foram registrados nas duas maiores cidades da região norte, Milão e Turim

Reuters, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2020 | 01h51

TURIM - Italianos protestaram por diversas cidades do país nesta segunda-feira, 26, contra uma nova rodada de restrições impostas pelo governo com o objetivo de conter a segunda onda de infecções pelo coronavírus, e episódios de violência foram registrados nas duas maiores cidades da região norte, Milão e Turim.

Testemunhas disseram que algumas lojas de luxo, incluindo uma da grife Gucci, foram saqueadas no centro de Turim após multidões de jovens tomarem as ruas depois do anoitecer, disparando fogos de artifício e acendendo sinalizadores coloridos.

A polícia respondeu arremessando bombas de gás lacrimogêneo para tentar restaurar a ordem na cidade, que é capital da rica região de Piemonte.

Também houve conflitos em Milão, capital da região vizinha da Lombardia, uma área que sofreu grande parte do fardo da primeira onda da epidemia de covid-19 na Itália.

“Liberdade, liberdade, liberdade”, cantavam os manifestantes ao confrontarem a polícia no centro da cidade.

O governo italiano decretou o fechamento de bares e restaurantes às 18h e fechou academias, cinemas e piscinas públicas para tentar desacelerar a segunda onda de infecções do vírus que afeta grande parte do país./REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.