Italianos testam "bafômetro" para detectar câncer

Um tipo de "bafômetro" que poderia identificar câncer de pulmão foi colocado em teste na Itália. Há tempos que se acredita que pacientes que sofrem de problemas pulmonares exalam diferentes partículas pela respiração. Cientistas da Universidade de Roma desenvolveram um sensor que, afirmam, pode detectar as substâncias encontradas num pulmão com câncer. Os testes em um grupo de 60 pessoas (metade já doente) identificaram com precisão todos os que sofriam de câncer.Os cientistas sugerem que um nariz eletrônico poderia um dia fazer parte de um teste para detectar fumantes e outras pessoas com risco de contrair a doença. O único método confiável, até agora, é usar um broncoscópio para enxergar o pulmão por dentro e detectar sinais de câncer.As pessoas que sofrem da doença têm altos níveis de substâncias químicas alcalinas e derivados de benzoína em seus pulmões. Outros problemas, como diabetes, asma e infecções como a tuberculose também produzem diferentes "assinaturas químicas".O chefe da equipe que desenvolveu o aparelho, Carrado Di Natale, disse que ele tem potencial para ser uma ferramenta de diagnóstico. "Seria menos preciso que a broncoscopia, mas muito mais fácil de se fazer", disse ele.A maioria dos casos de câncer não é detectada precocemente pelos médicos, o que torna mais difícil o tratamento. O estudo foi relatado pela revista New Scientist. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.