Itamaraty afirma que 'diálogo e respeito' são única via para questão do programa nuclear do Irã

Em nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, governo brasileiro afirma que 'integridade do regime de não proliferação e desarmamento nucleares constitui um patrimônio de toda a comunidade internacional'

O Estado de S.Paulo

15 Maio 2018 | 16h58

O governo brasileiro afirmou nesta terça-feira, 15, que o diálogo e o respeito aos compromissos internacionais são "a única via para o encaminhamento da questão do programa nuclear iraniano". Instou ainda a "todas as partes do JCOoA (Plano de Ação Abrangente de Ação Conjunta, o acordo nuclear)" a se empenharem em um "solução mutuamente aceitável". 

Em nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, o governo afirmou que a "integridade do regime de não proliferação e desarmamento nucleares constitui um patrimônio de toda a comunidade internacional".  

+Com poucas opções, Irã e Europa tentam salvar acordo nuclear

"Por essa razão, o Brasil apoiou o endosso do JCPoA pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, por meio da resolução 2231 (2015), e tem respaldado a maneira imparcial com que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) se desincumbe das tarefas de verificação do programa nuclear iraniano", afirma a nota. 

O Brasil saudou a conclusão do acordo, assinado entre os P5+1 (EUA, China, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha) e o Irã, em julho de 2015. O acordo, que retira a questão nuclear iraniana da agenda do Conselho de Segurança das Nações Unidas, segundo o Itamaraty, representa "importante vitória da diplomacia sobre o uso da força na solução de controvérsias internacionais" e "consagra princípios defendidos pelo Brasil desde 2010, quando o país articulou iniciativa conjunta com a Turquia e o Irã para a solução da questão nuclear iraniana".



 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.