Itamaraty condena ataque e transmite solidariedade ao governo russo

Atentado em aeroporto moscovita deixou ao menos 35 mortos e 145 feridos

EQUIPE AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2011 | 16h53

BRASÍLIA - O Ministério das Relações Exteriores do Brasil divulgou nesta segunda-feira, 24, uma nota à imprensa a respeito do atentado ocorrido no aeroporto de Moscou, que resultou em pelo menos 35 mortos e 145 pessoas feridas. "O governo brasileiro transmite sua solidariedade e seu pesar ao governo da Federação Russa e às famílias das vítimas", diz a nota.

Segundo o Itamaraty, ao deplorar a ação de grupos radicais que recorrem a atos de violência contra civis, o governo "reitera sua veemente condenação a atentados dessa natureza, praticados sob qualquer pretexto".

A explosão aconteceu no meio da tarde (horário local) de hoje e, segundo informações iniciais, foi um atentado terrorista, disse o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev. O mandatário russo adiou sua partida para o Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), por causa do atentado. Pelo menos 56 ambulâncias foram enviadas para o terminal, que ficou cheio de fumaça. Os voos internacionais foram desviados para dois outros aeroportos que atendem à capital russa.

"Foi um ataque terrorista, pelas informações preliminares que nós temos" disse Medvedev. Ele ordenou às autoridades que aumentassem a segurança nos outros dois aeroportos moscovitas, bem como no sistema de metrô da capital, que já foi alvo no passado de atentados. Medvedev disse que a explosão mostrou que as normas de segurança foram rompidas.

"Literalmente, a explosão abalou tudo", disse Mark Green, um passageiro da British Airways que havia acabado de desembarcar no aeroporto e escutou uma enorme explosão enquanto deixava o terminal. Vídeos amadores postados no Youtube mostravam corpos e bagagens no chão, enquanto socorristas retiravam feridos que gritavam. Com informações da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ItamaratyatentadoMoscou

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.