CHARLES SHOLL/FUTURA PRESS
CHARLES SHOLL/FUTURA PRESS

Itamaraty diz que brasileiros enviados para o México não pediram assistência consular 

Ministério das Relações Exteriores informou que eles podem ter assistência prestada pelo Consulado-Geral do Brasil na Cidade do México. Eles foram abrigados em Ciudad Juárez, uma das mais violentas da região do norte mexicano.

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2020 | 21h22

BRASÍLIA - O Ministério das Relações Exteriores (MRE) foi oficialmente comunicado pelo governo Donald Trump do envio ao México de brasileiros detidos tentando ingressar clandestinamente nos Estados Unidos.

Em nota, o Itamaraty disse que foi aplicado o Protocolo de Proteção ao Migrante (MPP) aos brasileiros apreendidos na fronteira sul, o que não havia ocorrido até então. 

Em solo mexicano, por não necessitarem de visto, os brasileiros ficam regularmente e podem ter assistência prestada pelo Consulado-Geral do Brasil na Cidade do México. Eles foram abrigados em Ciudad Juárez, uma das mais violentas da região do norte mexicano, localizada a 1,79 mil km da Cidade do México.

“Aquele consulado não relatou pedido de assistência consular por parte dos brasileiros enviados para Ciudad Juárez. Trata-se de brasileiros que ingressaram regularmente no México e que poderão permanecer no território daquele país pelo tempo estabelecido pela legislação mexicana”, afirmou o Itamaraty.

No início desta semana, o secretário adjunto interino do Departamento de Segurança Interna, Ken Cuccinelli, havia dito que o governo americano estudava medidas alternativas aos voos de deportação de brasileiros presos pela política de fronteira dos Estados Unidos. Ele cobrou uma ação mais agressiva das autoridades brasileiras para combater a imigração ilegal.

Cuccinelli citou o aumento no número de detenção de brasileiros na fronteira e de famílias brasileiras em busca de asilo. No ano passado, foram cerca de 18 mil detidos pela polícia de fronteira, ante cerca 1,6 mil no período anterior.

Na prática, o envio dos brasileiros para fora do território dos EUA é a aplicação de uma das medidas que vinham sendo negociadas e realizadas com outros países do chamado Triângulo do Norte, Guatemala, Honduras e El Salvador, além do México. O objetivo é conter o fluxo na América Central, além das fronteiras americanas.

Por um dos acordos, o governo Trump manda de volta a um desses países, batizado de “terceiro país seguro”, migrantes em situação irregular, independente de nacionalidade. No caso do protocolo MPP, eles permanecem no México próximos da fronteira aguardando o julgamento e regularização de seus pedidos de asilo nos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.