Itamaraty estreita contato com brasileiros no Oriente Médio

O Itamaraty instruiu suas embaixadas no Oriente Médio a identificar a dimensão da comunidade brasileira em cada país da região e a manter um contato estreito com os cidadãos residentes nolocal. A iniciativa, que vem sendo aplicada desde setembro do ano passado, se deve à preocupação do governo com o agravamento das tensões no Oriente Médio e a possível deflagração de guerra dos Estados Unidos contra o Iraque.Por meio de nota distribuída nesta sexta-feira, o Itamaraty informou que as instruções foramremetidas às embaixadas brasileiras em Abu Dhabi (Emirados Árabes), Aman (Jordânia), Âncara (Turquia), Beirute (Líbano), Cairo (Egito), Damasco (Síria), Kuaite (Kuaite), Riade (Arábia Saudita), Teerã (Irã) e Tel Aviv (Israel).Todas receberam também, em setembro do ano passado, cartilhas sobre como proceder em situações de risco às comunidades brasileiras locais. Desde então, menciona a nota, os diplomatas vêm mantendo contatos constantes com os brasileiros residentes e, inclusive, prestandoorientações sobre os procedimentos para deixar o país, em caso de necessidade.De acordo com a nota, a maioria dos brasileiros residentes nesses países optou pornão deixá-los por conta dos ?estreitos vínculos? que mantêm no local. A maior parte delesestá estabelecida no Oriente Médio há muito e tem dupla nacionalidade - ou são casados com cidadãos locais.Para os familiares que vivem no Brasil, o Itamaraty está oferecendo um serviço deconsultas para confirmar se seus parentes residentes no Oriente Médio estãoregistrados nas embaixadas brasileiras. As informações podem ser obtidas na Divisãode Assistência Consular do Ministério das Relações Exteriores, por meio do fax (61)322-0864 ou do e-mail dac@mre.gov.br.Outro meio possível é o contato com asembaixadas brasileiras na região. O e-mail de cada uma delas consta da página doItamaraty na Internet, www.mre.gov.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.