Itamaraty não confirma morte de brasileira em tsunami

O Itamaraty informou que não recebeu, até o final da tarde desta sexta-feira, nenhum contato de familiares e amigos de uma brasileira que teria morrido em decorrência do tsunami no Pacífico nesta semana. A representação brasileira afirma que a procura de parentes poderia ser um indício forte da morte, mas não ocorreu.

MAÍRA TEIXEIRA, Agencia Estado

02 de outubro de 2009 | 18h53

O órgão brasileiro informou ainda que, após ler reportagem no jornal neozelandês "The Dominion Post", que fala da possibilidade de haver uma vítima brasileira, a embaixada contatou as suas representações em Jacarta (Indonésia), Sidney (Austrália) e Wellington (Nova Zelândia) solicitando informações sobre essa possibilidade. Ainda não houve qualquer confirmação.

A reportagem informava que a brasileira estaria hospedada no resort Taufua Beach Fales, na praia de Lalomanu, no sudeste da ilha de Upolu, a região mais atingida pelo tsunami. Pelo menos 179 pessoas morreram vítimas do tsunami nas ilhas de Samoa, Samoa Americana e Tonga.

O terremoto de 8,4 graus de magnitude na escala Richter foi registrado na terça-feira à tarde, provocando ondas de até 4,5 metros de altura em algumas áreas das ilhas. O epicentro do terremoto foi oceano, a uma profundidade de 33 quilômetros, a cerca de 190 quilômetros de Apia, a principal cidade de Upolo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.