EFE/ Andreu Dalmau
EFE/ Andreu Dalmau

Itamaraty rejeita declaração de independência da Catalunha e pede diálogo

Em breve nota publicada em seu site, Ministério das Relações Exteriores do Brasil defendeu que a crise política provocada pelo desafio separatista catalão seja resolvido diplomaticamente para preservar 'unidade do Reino da Espanha'

O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2017 | 20h26

BRASÍLIA - O Ministério das Relações Exteriores do Brasil rejeitou neste sábado, 28, a declaração unilateral de independência realizada pela Catalunha e se disse favorável a que a crise política provocada pelo desafio separatista seja solucionada através do diálogo e com respeito à Constituição.

Em Santa Coloma, vizinha a Barcelona, população rejeita independência

O Itamaraty emitiu hoje um breve comunicado no qual pediu diálogo "com base no pleno respeito à legalidade constitucional e na preservação da unidade do Reino da Espanha".

O parlamento regional da Catalunha aprovou na véspera uma declaração unilateral de independência que, horas depois, levou o Executivo espanhol a adotar uma série de medidas, com a aprovação do Senado, para recuperar a legalidade constitucional.

Entre elas figura a destituição de todo o gabinete do agora ex-presidente do governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, e a convocação de eleições autônomas para 21 de dezembro, conforme o anúncio feito pelo chefe do Executivo espanhol, Mariano Rajoy.

Numa declaração gravada e divulgada neste sábado, Puigdemont pediu à população da Catalunha que faça uma "oposição democrática" e "cívica" ao Executivo espanhol.

Pouco antes da declaração de Puigdemont, fontes independentistas catalãs afirmaram que o seu governo não se dá por destituído e deve manter suas atividades. / EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.