Itamaraty se dispõe a levar queixa à ONU

Caso se confirme o caráter xenófobo das agressões contra Paula Oliveira, o Brasil deve enviar hoje uma queixa formal à ONU. O Itamaraty vai pedir para que a Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillai, se pronuncie de forma urgente sobre o caso e condene os ataques.O Itamaraty pressiona governo e polícia suíços para que investiguem de forma "rigorosa e transparente" o caso. Mas, mesmo destacando a "grande preocupação" do País, o chanceler Celso Amorim ditou uma linha cautelosa para o Itamaraty e declarou várias vezes que não é possível prejulgar o episódio. Ontem, o Itamaraty chamou o encarregado de negócios da embaixada da Suíça, Claude Crottaz, para pedir rigor nas apurações. "A Suíça não tem interesse em manter uma imagem negativa em relação a esse tema", afirmou Amorim. Duas policiais teriam visitado Paula Oliveira ontem à tarde no hospital e se desculpado pelo modo como ela foi tratada pelos investigadores que a atenderam na noite do ataque, segundo o Blog do Noblat.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.