Iugoslávia admite que tropas cometeram atrocidades

O Exército iugoslavo admitiu hoje, pela primeira vez, que seus soldados cometeram atrocidades contra os albaneses étinicos de Kosovo antes de o bombardeio aéreo da OTAN forçar sua retirada da região em 1999. Um porta-voz do Exército, coronel Svetozar Radisic,disse que os tribunais militares abriram processos contra duasdezenas de soldados suspeitos de terem cometido crimes de guerraem Kosovo, onde os albaneses étnicos se ergueram em armas emluta pela independência. Há suspeitas de que milhares de albaneses étnicosmorreram durante a ocupação sérvia, enquanto centenas demilhares de civis tiveram de abandonar suas casas. Radisic disse que os tribunais militares investigaram 24casos de crimes de guerra, e alguns dos processos já foramconcluídos - mas, segundo a agência de notícias Beta, ele nãodeu maiores detalhes sobre os procedimentos. O bombardeio da oTAN eventualmente forçou o Exércitoiugoslavo e a polícia sérvia a se retirarem de Kosovo - queoficialmente continua sendo parte da Iugoslávia e de suarepública dominante, a Sérvia. Mas a província está sobocupação das Nações Unidas e da OTAN desde junho de 1999. Dois anos após o final do conflito, continua sendo alta a tensão étnica na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.