Iugoslávia premia tolerância étnica

Um político moderado e uma emissora independente de rádio e televisão receberam o prêmio por tolerância na Iugoslávia, informaram hoje os jornais. Trata-se da primeira vez que este prêmio é outorgado no país. A premiação, concedida pelo Ministério das Minorias Étnicas do governo iugoslavo, com o apoio das embaixadas britânica e norte-americana em Belgrado, é parte de uma campanha para promover a tolerância, após anos de conflitos étnicos nos Bálcãs. O presidente iugoslavo, Vojislav Kostunica, e outras importantes personalidades compareceram à cerimônia de premiação, seguida de um concerto, ontem à noite, no maior auditório de Belgrado, informou o jornal Politika. O prêmio individual de US$ 5 mil foi para Dragoljub Micunovic, um político veterano, conhecido por sua luta a favor da democracia, que sempre serviu como mediador nas disputas políticas. Micunovic, presidente do Parlamento iugoslavo, afirmou: "Precisamos aprender a nos dominar, de forma que possamos ser tolerantes um com os outros." A emissora independente B-92 também foi agraciada com o prêmio. A emissora teve seu prestígio reconhecido na época do governo do ex-presidente Slobodan Milosevic. Depois da queda do ditador, há dois anos, a B-92 lançou vários programas de TV com o objetivo de promover a tolerância entre as etnias e confrontar os sérvios com seu papel nas guerras que assolaram a região no passado. Um prêmio especial foi destinado a Stefano Sannino, ex-chefe da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), informou o jornal Politika.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.