Ivanov alerta para conseqüências de guerra

A guerra com o Iraque poderia causar a morte em massa de civis, desestabilizar todo o Oriente Médio e minar a guerra contra o terrorismo, analisou o ministro russo das Relações Exteriores, Igor Ivanov, num comentário publicado nesta sexta-feira pelo jornal britânico Financial Times.A Rússia sustenta que deseja ver o Iraque desarmado pacificamente, por meio do trabalho dos inspetores de armas da Organização das Nações Unidas (ONU). Estados Unidos e Grã-Bretanha alegam que o presidente iraquiano, Saddam Hussein, falhou em sua cooperação com os inspetores e deve ser desarmado pela força, se necessário.Ivanov alertou que qualquer conflito com Saddam pode desencadear conseqüências desastrosas."Um ataque armado contra o Iraque inevitavelmente causaria mortes em massa, principalmente entre a população civil", escreveu o chanceler. "Isto também desestabilizaria o Oriente Médio e o mundo em geral", prosseguiu."Tamanha instabilidade também comprometeria a guerra contra o terrorismo internacional, e não existe desculpa para isso."Ivanov também aproveitou para negar sugestões de que a recente declaração de Alemanha, França e Rússia, pedindo à ONU que envie mais inspetores ao Iraque, teria sido motivada por hostilidade contra os EUA."As tentativas de retratar essa iniciativa como uma manobra antiamericana carecem totalmente de fundamento", explicou Ivanov. "Estamos comprometidos com o uso de todos os meios disponíveis para a obtenção de uma solução pacífica e duradoura para o problema."O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, vem rejeitando insistentemente os pedidos para reforçar as inspeções de armas no Iraque. Ele diz que "um ou dois inspetores seriam o bastante se Saddam não estivesse escondendo suas armas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.